Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Slow Living Matters

Viver com ansiedade rouba momentos deliciosos, de prazer e felicidade, por isso há que aprender a viver com ela e viver com calma, no agora, porque a vida nem sempre é um mar de rosas mas não é sempre escuridão.

Slow Living Matters

Viver com ansiedade rouba momentos deliciosos, de prazer e felicidade, por isso há que aprender a viver com ela e viver com calma, no agora, porque a vida nem sempre é um mar de rosas mas não é sempre escuridão.

Setembro 01, 2021

Há muito tempo que não escrevo por aqui e resolvi vir cá  hoje, para dar as boas vindas a Setembro. O meu querido mês e o ínicio de mais uma época do ano.

Normalmente estabeleço o mês de setembro para dar inicio a novas coisas na minha vida. Nada de especial mas tento criar um novo hábito ou objetivo (que por vezes fica pelo caminho, mas isso são pormenores)  .  E nos últimos meses sinto necessidade de preencher os meus dias com qualquer coisa de novo, que me ajude a "reanimar" depois de um dia de trabalho, algo que me ajude fisica e mentalmente. 

Decidi voltar ao yoga. Tem-me acompanhado mas não o tenho levado a sério e estou cheia de vontade de tornar uma prática diária. e não estou a falar só do exercicio em si, mas quero perceber melhor a filosofia yogi, estudar um bocadinho e quem sabe, acertar estes desalinhamentos todos que andam aqui dentro.

Prontas para Setembro?

Setembro. jpg

 

Fevereiro 12, 2021

Tenho curiosidade em saber se tens rotinas de sono, se dormes bem, se dormes mal e o que te faz sentir que dormes mal, nesse caso.  

Tens muitos sonhos, insónias? Acordas muitas vezes durante a noite? Tomas medicação? 

Partilho um bocadinho contigo o meu sono.

É muito raro demorar a adormecer e ter insónias. Adormeço rapidamente mas não tenho um sono tranquilo. Sonho muito, com situações confusas, agitadas. A maior parte dos meus sonhos são a correr, a fugir de algo e muitas vezes acordo transpirada, o que me leva a crer que devo agitar-me conforme os meus movimentos no sonho. Quando acordo sinto-me cansada e custa-me um pouco a agarrar o dia.

 

Conta-me então, se tens daqueles sonos reparadores? E como consegues?

 

Son0.jpg

 

 

 

Janeiro 04, 2021

O filme Soul da Pixar veio no momento certo das nossas vidas. 

Para quem tem conta nas redes sociais e/ou subscreve newsletters de pessoas que já encontraram o seu propósito e vendem material relativo a ele, sabem bem daquilo que vou falar.

Há uns meses atrás, passei por uma situação complicada de saúde e que me deu uma tristeza enorme. Para além disso, percebi que a minha entidade patronal é adversa a obstáculos pelo caminho, nomeada mente, a faltas, baixas e "nãos". Zanguei-me com a vida naquele momento e comecei a pensar (mais uma vez) se eu deveria estar a perder tempo com aquilo que fazia. 

Para esconder a dor que sentia, agarrei-me àquele stress, na procura da minha verdade, do meu propósito. Via todos os dias negócios e mais negócios pela Internet. Vendiam coisas tão simples e as pessoas compravam. As pessoas compram. "Caramba, por que é que eu não sou capaz?" 

Passei meses e meses à procura de respostas, até que as crises de pânico e de ansiedade tomaram conta de mim, por que eu não soube cuidar de mim. Eu estava a enterrar-se em negativismo, a sabotar-me, a tornar-me em alguém que nunca seria capaz de estar apta para descobrir o seu propósito. Tal como mostra o filme, eu era uma alma perdida.

Só depois de pedir ajuda, fui percebendo aos poucos que talvez não precisasse de descobrir o quer que fosse e devia deixar de me iludir com o que via. Percebi realmente que não gosto do trabalho que tenho e daquilo que faço mas que preciso dele para pagar contas, para poupar para outros objetivos. É isto que a maioria das pessoas faz e não deixam de fazer um bom trabalho por isso. 

Acredito que todos temos um propósito de vida, mas esse propósito não tem que ser ligado à parte profissional. 

É isso que este filme mostra e fiquei muito contente por ter tido algo que me mostrasse aquilo que tenho vindo a pensar nos últimos meses. E adorei que tivesse vindo através de uma história tão bonita, e curiosamente em formato animado. 

Ainda não sei qual é o meu propósito de vida, ou talvez até já saiba, já esteja a pôr em prática e nem me apercebo, mas que a vida torna-se mais leve quando deixamos de pensar tanto, lá isso torna-se! 

 

Soul.jpg

 

 

Janeiro 02, 2021

Um novo ano é, na nossa mente, um ponto de viragem, uma lufada de ar fresco, em que refletimos sobre tudo o que não fizemos no ano velho e em todos os objetivos que queremos concretizar no novo ano, que vem sempre envolto em esperança.

Esta viragem de ano foi e será sempre recordada de forma inesquecível. Festejou-se de forma diferente, despedimo-nos, finalmente, de um ano amargo e demos as boas vindas a um ano que queremos forçosamente que seja muito melhor!

2020 ensinou-nos a adaptarmo-nos às circunstâncias, a aceitar a alteração dos nossos hábitos, a agir de forma diferente, a sermos mais cuidadosos, cautelosos e, apesar de não termos sido brilhantes, conseguimos incutir regras inimagináveis no nosso quotidiano.

 

A aceitação é o grande passo para todas as adversidades. Lutar contra ela é tudo o que conseguimos fazer numa fase inicial, atribuimos culpa, procuramos um alvo, disparamos setas, até que não nos resta mais contra quem lutar e cedemos. 

Todos nós sabemos que vivemos num mundo manipulador. A nossa sociedade parece estar feita para colocar cada um de nós num pedestal e observar quem leva a melhor. É assim em casa, quando queremos levar a nossa opinião, ideia, etc, avante. É assim no trabalho quando queremos ser promovidos. É assim nas redes sociais, onde todos querem dar a sua opinião, seja a que custo for. É assim no poder, no governo que gere cada país. E tem sido assim à conta deste vírus. 

Julgámos numa fase inicial que este vírus nos ia transformar em melhores pessoas, mas na verdade, sentimos a necessidade de nos unir uns aos outros porque nunca tinhamos passado por uma situação semelhante. Estávamos cheios de medo. À medida que a situação foi "melhorando", quando começámos a sair de casa, a sentir que não era assim tão mau, voltámos a nós mesmos. Com o distanciamento social e com o uso de máscaras passámos a ser cada vez mais individuais, como se  o outro fosse um alvo a abater. "Será que está infetado? É melhor nem olhar para ele!"  E este distanciamento passou a outros níveis. Começámos a ficar sem paciência, a perder o respeito pelo outro, a isolarmo-nos. Ganhámos ansiedade ao querermos tanto melhores dias, a que tudo voltasse à normalidade. Ganhámos portanto uma nova doença: a perda da nossa sanidade mental.

 

Por isso é tão importante a aceitação. Aceitar que este vírus veio destruir-nos em várias vertentes mas que pode reerguer-nos e para isso, temos que estar dispostos a alterar o nosso ponto de vista, sempre na linha de pensamento que tivemos antes, de que não somos um só neste mundo.

Se me tocas e me infetas com o vírus, então também podes tocar-me e enviar-me o teu respeito, o teu amor.

Novembro 08, 2020

Este será o meu primeiro licor.

 

Licor.jpg

 

Há 2 domingos atrás juntei romã e açúcar amarelo dentro de um frasco e guardei-o dentro de um armário pouco iluminado durante todo esse tempo.

Hoje juntei-lhe a aguardente, mexi e dentro de 2 meses e meio diz que está pronto a ser coado e provado.

Aqui vai a minha receita:

-200 g de açúcar amarelo 

-200 g de romã (só os bagos) 

-700 ml de aguardente 

 

Bom domingo ♥️

 

Novembro 02, 2020

Para quem não acompanhou o desafio da meditação que lancei para o mês de outubro, ou para quem quer começar ou continuar a meditar, coloco aqui neste post os links com cada dia do desafio para guardarem. Sigam os dias ou escolham a meditação mais apropriada para o vosso dia.

 

Dia 1 - Sentir a nossa respiração

Dia 2 - Pensamentos Tagarelas

Dia 3 - Observa o que te rodeia

Dia 4 - Não sou um polvo

Dia 5 - Tempo de discernimento

Dia 6 - Adormecer

Dia 7 - Encontro com a Natureza

Dia 8 - Resistir aos impulsos

Dia 9 - Sentir Generosidade em mim e emaná-la aos outros

Dia 10 - Caminhar em consciência

Dia 11 - Meditação da Montanha

Dia 12 - Viver o Instante Presente

Dia 13 - Comer em consciência

Dia 14 - Confrontar Emoções Dolorosas

Dia 15 - Olhar para as pessoas sem julgar

Dia 16 - Estou vivo/a

Dia 17 - Outra conexão à vida

Dia 18 - Na cozinha em consciência

Dia 19 - O murmúrio do Mundo

Dia 20 - A avalanche de emoções

Dia 21 - Não-ação

Dia 22 - Meditação de pé

Dia 23 - Dança, sê Feliz!

Dia 24 - Gratidão

Dia 25 - Meditação da árvore

Dia 26 - Responder ou reagir?

Dia 27 - Não praticar o mal

Dia 28 - Etapas de respiração

Dia 29 - Observar de outra perspetiva

Dia 30 - Três alegrias do dia

Dia 31 - O sorriso

 

No fundo é só parar, sentir a nossa respiração, ouvir o silêncio da mente e estamos prontos para continuar o nosso caminho. 

Outubro 31, 2020

Hoje é o último dia do desafio de meditação que vocês seguiram e puseram em prática.

Gostei tanto e estou tão orgulhosa por ter conseguido não falhar e levar o desafio até ao último dia. 

Agradeço-vos muito por estarem aí e sem saberem, por me darem força para continuar o meu caminho. 

 

Digo-vos que nesta minha luta contra as crises de ansiedade e de pânico, tem sido o humor que me tem ajudado a superar certos momentos de muito estímulo nervoso e portanto, hoje, a meditação é para sorrirmos e emanarmos boas energias ao mundo, pois bem precisa! 

 

Coloca-te na tua posição confortável e fecha os olhos. Toma consciência da tua respiração, do teu corpo, dos teus pensamentos. 

Tem consciência da tua expressão facial. Os teus maxilares estão descontraídos ou tensos? Os músculos da cara? Como está a ser a tua respiração? 

Afasta os ombros e endireita-te. O que se passa na tua vida? Tens muitos obstáculos? Estás a passar uma má fase? Que alegrias podes trazer para ti? Já começaste a tentar? 

Mesmo assim és capaz de sorrir? Também sorris às alegrias que tens? 

 

Faz nascer um sorriso no teu rosto, sem ser forçado. O que é que ele te traz? 

Não é maravilhoso, apesar de tudo, estares viva? 

Independentemente do que prevês à tua frente, as lutas que tens que enfrentar, não deixes de sorrir. 

 

Sorriso.jpg

 

Sorri ♥️

 

Outubro 30, 2020

Hoje o exercício é para fazer antes de adormecermos. 

 

Quando estivermos prestes a adormecer, vamos conduzir o nosso espírito para três momentos agradáveis passados hoje. 

Bastam pequenas coisas como o sol que nos aqueceu, a simpatia de alguém desconhecido, um trabalho bem feito, uma boa refeição, a gargalhada que nos soube tão bem. 

Se o dia foi complicado, este exercício ainda fará melhor o que é pretendido, pois é assim que percebemos que pequenos instantes podem mudar toda uma situação difícil.

 

Recordemos esses momentos, em cada momento fazemos a nossa respiração habitual, associando a sensações agradáveis e sentindo como se estivessem a acontecer novamente. 

 

E não te esqueças de sorrir, serenamente, antes de adormecer.

 

Dormir.jpg

 

Outubro 29, 2020

Neste exercício convém estares sozinha e num ambiente calmo. 

 

Instala-te num sitio, numa divisão de casa, que não é costume estares, ou coloca-te num lugar dessa divisão para teres uma perspectiva que não é comum. Eu por exemplo, por vezes sento-me no lugar da mesa do meu marido quando ele não está.

 

Observa tranquilamente tudo ao teu redor, tudo aquilo que de tão comum lá estar nem dás por eles.

Observa esses objetos. A cor, a forma, a textura e sente-os. Agarrá-los,demora-te neles. Questiona-lo. De onde veio, quem o trouxe até ti, quando o compraste, quem te ofereceu, como foi inventado, cultivado...

Contempla o que tens ao teu redor como dado adquirido e percebe a importância que isso tem para ti.

 

Contemplar. jpg

 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub